quinta-feira, 26 de março de 2009

Dilus: urso eletrônico ajudando na recuperação de crianças em quimioterapia

Dilus: urso eletrônico ajudando na recuperação de crianças em quimioterapia
Você já ouviu falar no conceito do Dilus? Baseado em estudos sobre crianças em tratamento quimioterápico, o bacharel em Design Industrial pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI-SC) Bruno Oro, 23 anos, desenvolveu uma forma de utilizar produtos eletrônicos para auxiliar na interação social e no entretenimento destas crianças, além de visar à continuidade das atividades escolares à distância. Segundo ele, a importância desse trabalho deve-se ao fato de que durante esse período de tratamento ocorre não apenas a degradação do aspecto físico, mas também psicológico do paciente, gerando seqüelas que tendem a ficar pelo resto da vida, como problemas de apetite e relacionados ao sono.
Segundo Bruno, com a análise dos dados obtidos na pesquisa “chegou-se ao conceito de um produto eletrônico que propiciasse ao usuário a comunicação, o entretenimento e o estudo com o auxílio de componentes eletrônicos de última geração”.
O conceito do Dilus não se restringe às crianças, apesar do produto vir em formato de urso de pelúcia, qualquer outro indivíduo poderá usufruir de seus benefícios. Dentre suas funções, o Dilus terá tecnologia holográfica agregada e a comunicação com outros dispositivos será via bluetooth, como teclado virtual e fones. A seleção das opções de menu ocorre através de um sistema de mapeamento e localização, em que um laser irá transferir dados pré-programados de onde estaria ocorrendo o toque mapeando pontos X, Y e Z.
O objetivo do produto e de seu formato imitar um urso de pelúcia, segundo Bruno, é chamar a atenção das crianças. A idéia de desenvolvê-lo surgiu quando estava em uma fila de banco e notou uma criança perambulando. Segundo ele, ela apenas parou quando viu um banner que trazia uma imagem de uma criança com um ursinho de pelúcia, o que o deixou entretido.
Fotos. Divulgação
Ainda segundo o bacharel, “o produto segue o conceito do movimento da ‘toy art’, onde personagens possuem características um tanto inusitadas e podem ser customizadas pelo usuário”. No caso do Dilus, a customização ocorre eletronicamente, “através de polímeros condutores onde o usuário personaliza e logo ocorre a alteração da capa/carcaça”.
Por Estefânia Martins( Essa reportagem foi tirada de outro local) Jornalista - DRT/RS 13824

2 comentários:

GARÇA disse...

Olá Estefânia!
Dando uma "passeada" pela internet achei a postagem de meu produto no seu blog!
Fico contente que tenha se interessado nele para postar aqui!
O produto recentemente ganhou o premio de design IDA - International Design Award.
http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI3499278-EI4795,00-vc+reporter+urso+eletronico+educa+criancas+fora+da+escola.html
Vc é jornalista?Trabalha em algum jornal ou revista?
Obrigado!
Abraço

Bruno Oro

Titiça Neder disse...

Oi Bruno, não sou a Estefânia, Sou Patrícia, essa reportagem do seu inveto, que achei maravilhoso por sinal, postei aqui mas a li em outro local, coloquei os créditos de quem a escreveu, a jornalista.
Aproveitando parabéns pelo trabalho e pelo prêmio.

Abraços